Comercial: (21) 2263-0889

SAP se ajusta para alcançar € 3,5 bi em 2017 com cloud computing

A estratégia da SAP nos últimos quatro anos estava focada em mobile, in-memory e nuvem. Nos próximos quatro anos, a estratégia será cloud, cloud e cloud. A mensagem ficou clara nesta terça-feira (22), quando o CEO Bill McDermott disse que a companhia deve “fazer um corajoso movimento para transacionar a empresa para a nuvem.”

“Estamos levando nosso core business para a nuvem com a plataforma de nuvem Hana, e a SAP assumirá a responsabilidade total de ajudar os clientes a simplificar seus panoramas e executar seus planos de negócios”, explicou, visualizando o movimento de implementações dos clientes do SAP Business Suite para a plataforma de serviços gerenciados do Hana.

Enquanto competidores como Salesforce.com, Workday e NetSuite são puramente fabricantes na nuvem, a SAP deixou claro que sua oferta na nuvem combinará ofertas de software como serviço (SaaS), como SucessFactor e Ariba, com a entrega da nuvem privada do Business Suite – o chamado core business da empresa.

Configurando uma meta ambiciona para seu crescimento, McDermott disse que a SAP irá alcançar entre 3 e 3,5 bilhões de euro de receita com assinaturas e suporte na nuvem até 2017. O valor é bem acima dos 758 milhões de euros reportado em 2013, assim como da previsão de 2 bilhões de euros para 2015.

Alcançar essa meta terá um custo. Reconhecendo que os investimentos na nuvem afetarão o bottom line, McDermott reduziu as previsão de alcançar margem de lucro de 35% em 2015, passando esse montante para 2017. “Estamos transferindo os 35% de meta para dois anos mais, assim teremos a participação de mercado que merecemos”, afirmou o executivo.

Claro que os players que nasceram na nuvem serão barreiras para a SAP, mas o co-CEO Jim Hagemann-Snabe pontua que a companhia crescerá acima desses competidores. “Vamos crescer mais que os fabricantes pure-play como Salesforce.com e NetSuite, pois contamos com soluções de negócios, RH, procurement e finanças”, disse.

Alcançar ou exceder 3 bilhões de euros em receita na nuvem em 2017 não será uma tarefa fácil e irá sem dúvidas requerer aquisições adicionais. Mas McDermott diz que o crescimento na nuvem será “inicialmente” orgânico enquanto possíveis aquisições possam acontecer.

“Seremos oportunistas quando vermos que podemos levar a companhia pra frente com uma solução que é melhor comprar que construir”, acrescentou.

O grande crescimento da SAP no último ano no mercado da nuvem se deu principalmente devido às aquisições da SuccessFactor e Ariba por US$ 7,7 bilhões. Em 2013, a fabricante gastou US$ 1 bi para adicionar a Hybris ao portfólio.